domingo, 18 de dezembro de 2016

Flamengo de Arcoverde surpreende o Afogados fora de casa, e é campeão da Série A2 do PE

RESUMÃO

  • DESTAQUEFLAMENGO CAMPEÃO!
    Após 49 partidas disputadas desde o dia 3 de setembro, a Série A2 do Campeonato Pernambucano chegou ao fim neste domingo. Com mais de três meses de competição, com direito a pausa - devido a irregularidades que foram para no Tribunal de Justiça Desportivo de Pernambuco (TJD-PE), o Estadual conheceu neste domingo o seu grande campeão, o Flamengo de Arcoverde.
    Em duelo realizado no estádio Vianão, em Afogados da Ingazeira, O Tigre do Sertão surpreendeu os donos da casa e venceu a final por 2 a 1, com dois gols de Willams, ainda no primeiro tempo, após falhas da defesa da Coruja, e um gols de Escuro para os anfitriões, no fim do jogo. Esse é o segundo título do Flamengo de Arcoverde, que conquistou a competição pela última vez em 1996.

  • PRIMEIRO TEMPO
    O primeiro tempo começou com tudo. Os donos da casa pareciam ansiosos e, empurrados pela torcida, foi para cima logo no início, já mostrando o cartão de visitas para o Flamengo, com um chute ainda no primeiro minuto. Mas os visitantes não se intimidaram e, no minuto seguinte, também concluíram a gol. Depois disso partida ficou super acirrada e, em alguns momentos, mais ríspida, o que gerou os cartões amarelos de Bebeto, do Afogados, e Weverton, do Flamengo.

    Dos 25 minutos em dia, o Afogados conseguiu manter a posse de bola, chegando com mais perigo e até, em algumas oportunidades, colocando pressão no Tigre. Mas, quando o jogo parecia está controlado pelos anfitriões, o Flamengo aproveitou dois lances de falha da defesa da Coruja, aos 43 e 46 minutos, e fez 2 a 0 com dois gols de Willams, fechando o placar da primeira etapa.
  • SEGUNDO TEMPO
    No Segundo tempo, a proposta do Flamengo de Arcoverde foi de jogar na retranca, fechado. Com isso, chamou o Afogados praticamente a segunda etapa inteira, mas o time do técnico Adelmo Soares tinha a defesa bem postada, com Clebson e Mardley fazendo desarmes no meio-campo, com o apoio de Vagner Rosa. Apesar da grande posse de bola, a Coruja não conseguia empolgar e via o relógio como seu maior adversário no jogo. No fim do jogo Escuro chegou a diminuir, de pênalti, mas foi insuficiente. Sendo assim, o jogo terminou 2 a 1 para o Flamengo, que sagrou-se campeão da Série A2 do Pernambucano.
  • AFOGADOS 1 X 2 ARCOVERDE 

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Ex-diretora do CIC ganha moção de aplauso por atuação no órgão



A ex-diretora-técnica do Centro de integração da Cidadania (CIC), unidade de Ferraz de Vasconcelos Roma
Pitombo Di Monaco (foto) está sendo homenageada pela Câmara Municipal da cidade com uma moção de aplauso. O reconhecimento de autoria do presidente da Casa, vereador Roberto Antunes de Souza (SD) foi aprovado, por unanimidade, na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 28.
No texto, Roberto de Souza destaca que a então diretora-técnica do órgão na cidade promoveu diversos serviços sociais relevantes em prol da população ferrazense em geral. Com seus projetos à dona Roma conseguiu garantir o bem-estar a munícipes locais. Formada em assistência social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC), de São Paulo, hoje, ela atua na Secretaria de Estado da Promoção Social.

“Na realidade, mesmo quando deixou de coordenar o CIC, em junho do ano passado, a dona Roma costuma vir a Ferraz de Vasconcelos participar de eventos sociais como, por exemplo, do Sabadania, ou seja, ela vive sempre disposta a ajudar o seu próximo, o que representa um gesto bastante humanitário”, diz Roberto de Souza. Por isso, trata-se de uma pessoa merecedora da simples homenagem.
Ligado a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, o CIC é um programa que proporciona a sociedade seus direitos por meio da participação popular. Na unidade ferrazense situada na Américo Trufelli, 60, no Parque São Francisco, o cidadão tem acesso a serviços públicos gratuitos, entre eles, tirar documentos pessoais, segunda via de certidões, participa de oficinas culturais e recebe orientações sociais e jurídicas.
Por Pedro Ferreira.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Vereadores questionam a construção de apartamentos


A possível construção de dois conjuntos residenciais privados, em Ferraz de Vasconcelos, levou a Câmara Municipal a aprovar um requerimento à administração da cidade na sessão ordinária antecipada, na quinta-feira, dia 10. No documento de autoria, respectivamente, do presidente e do vice da Casa (dir) Roberto Antunes de Souza (SD) e Marcos Antonio Castello (SD), o Ratinho, a dupla exige informações da municipalidade quanto aos aspectos legais dos futuros empreendimentos imobiliários.
Na prática, eles querem saber, por exemplo, se as duas obras autorizadas pelo Poder Executivo estão de acordo com o Plano Diretor em vigor, a Lei de Uso e Ocupação do Solo e com a política habitacional local. No caso específico, o questionamento dos parlamentares refere-se aos condomínios “Floriano Clube” na Rua Floriano Peixoto, na Vila Romanópolis e “Atrium Residencial Clube”, na Rua Ângela Giustti Zampese, no Parque Imperial, na região do Cambiri.
No requerimento, também assinado pela maioria dos vereadores cobra-se a identificação dos agentes políticos ou servidores que autorizaram os dois empreendimentos imobiliários; qual a base legal adotada para os deferimentos das obras; esclareça se os citados condomínios cumprem o que estabelecem o Plano Diretor e a Lei de Uso e Ocupação do Solo; encaminhe cópias dos processos administrativos nos quais houve as permissões relativas aos conjuntos; explique se foi efetuado o estudo de impacto de vizinhança e mande cópia do mesmo ato.
No fundo, de um modo geral, a principal preocupação dos vereadores diz respeito ao viável aumento populacional da cidade agravando ainda mais o já precário serviço público, tais como: a falta de escolas, creches, postos de saúde, áreas de lazer e sistema de transporte. “Na realidade, nós não somos contra a construção de apartamentos na cidade, mas não aceitamos o avanço da especulação imobiliária, isto é, o empresário visa apenas o lucro, contudo, deixa para a administração a obrigação de providenciar toda a infraestrutura no entorno”, afirmam Roberto de Souza e Ratinho.
                                                        Agravamento
O temor é que, hoje, os equipamentos públicos disponíveis já são insuficientes para atender toda a demanda e, neste caso, a situação poderá ficar ainda pior com esse “inchaço populacional”. No momento, segundo a política municipal de setor, Ferraz tem um déficit habitacional de 20 mil casas, todavia, a construção dos dois condomínios não favorece as pessoas de baixa renda, o que deveria ser uma prioridade do governo local em parceria com o Estado e a União. Por isso, o Legislativo pede mais rigor da Prefeitura Municipal na autorização e, sobretudo, na fiscalização.
Por Pedro Ferreira.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Roberto de Souza cobra reparo na iluminação na Av 15 de Novembro


O presidente da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos, vereador (foto) Roberto Antunes de Souza (SD) pediu a Prefeitura da cidade para que faça na iluminação pública na altura do número 1.471, em frente ao Lar Betânia, na Avenida XV de Novembro, no bairro Vila Nova. A reivindicação aconteceu na sessão ordinária, na segunda-feira, dia 7.
Segundo ele, a medida precisa ser adotada com a máxima urgência, já que trata-se de um local bastante movimentado e, portanto, no período noturno a escuridão existente facilita a ação de marginais contra os munícipes. Com isso, aumenta a falta de segurança naquele trecho da via pública que interliga o centro da cidade até o bairro do Cambiri.
Ainda, na segunda-feira, o vereador solicitou o mesmo tipo de providência ao departamento competente da municipalidade, porém, desta vez para beneficiar a Rua Vladimir Jorge entre os números 80 e 94 localizados defronte a entrada de uma viela que dá acesso ao Jardim São João. Na prática, o local fica às escuras a quantidade de furtos e roubos crescem a cada dia para desesperos daquela população.
Em suma, por estar no escuro aquele trecho da Rua Vladimir Jorge acaba colocando em risco a vida de moradores e transeuntes que todos os dias são obrigados a conviver com a ausência de segurança pública. Agora, Roberto de Souza espera que as suas indicações sejam, finalmente, atendidas pelo pessoal da Coordenadoria Técnica de Iluminação Pública (Ctip). “É o mínimo que o povo quer”, diz.
Por Pedro Ferreira.